COMPREENDENDO O CONCEITO REFORMADO DE SOLA SCRIPTURA


O conceito reformado de Sola Scriptura evoca o princípio de suficiência da bíblia, o que significa dizer, que a bíblia é a maior autoridade em se tratando de teologia. O que esse princípio não diz é que devemos excluir toda a informação extra-bíblica da nossa exposição de fé. O que esse princípio afirma na verdade é que no campo da teologia e em todas as demais disciplinas, a autoridade mais alta é a bíblia, ou seja, a norma suprema deve ser sempre a bíblia e só a bíblia. Ninguém deve objetar aquele que traz em seus argumentos, dados extra-bíblicos desde que esses dados não sejam apresentados, ao mesmo nível das Escrituras.

O pensamento humano incluso no campo teológico, requer certos dados extra-bíblicos, pois temos que viver constantemente com o mundo contemporâneo no meio do qual Deus nos tem colocado.Obviamente a física, a sociologia, a geologia, a psicologia, a medicina, etc. Respondem aos dados que não se encontram nas Escrituras.

A teologia faz o mesmo, pois sua função não é simplesmente de ler a bíblia, mas aplicá-la à problemática humana. A teologia corre o perigo de elevar os conceitos do teólogo sobre a problemática até um nível correlativo, inclusive superior, ao da bíblia. Porém com oração e meditação na Palavra de Deus, este perigo pode ser evitado. Quando defendemos a bíblia o fazemos segundo suas próprias regras, ainda que usando um processo de dados extra-bíblicos, o que não significa que estamos acrescentando algo à Escritura como nossa norma suprema. Simplesmente estamos expondo a racionalidade da bíblia.

Às vezes nos parece difícil acreditar que alguém que argumente uma verdade da bíblia baseando em dados extra-bíblicos eleve esses dados a uma posição de maior autoridade que a bíblia. Parece que estamos medindo a bíblia por ditos dados. O que não é o caso. Quando por exemplo afirmamos que, “há um desenho no mundo; portanto Deus existe”, podíamos ter tomado essa premissa da própria bíblia. Quando nos dirigimos a um não-crente, nos dirigimos ao conhecimento que segundo (Rm 1. 18) ele tem obtido da criação. Em resumo podemos em nossa tarefa de anunciar o evangelho, lançar mão de argumentos extra-bíblicos desde que submetidos à norma suprema que é a bíblia.